E o Google+ subiu no telhado, ou o fim do google+

E o Google+ subiu no telhado, ou o fim do google+

O Google+, a rede social/login/outra coisa que o Google insistiu por anos em manter e desenvolver chegou ao seu fim, desativado para uso pessoal a partir de 2 de abril de 2019. O G+ se junta aos demais serviços e redes sociais do Google que já foram descontinuados, como o saudoso Orkut, o Wave, o Buzz, o querido Google Reader. Será um processo lento e por etapas, mas após o seu encerramento para usuários comuns a rede ainda estará disponível para os usuários corporativos que são clientes do G Suite. Eles ainda terão o G+ disponível em suas contas, mas reformulado e focado no uso corporativo. Algum tempo depois de descontinuado ainda será possível para os usuários fazerem o download os seus dados, que incluem suas fotos, videos e posts, bem como círculos, comunidades, steam e marcações +1. Seja por um erro de posicionamento ou foco do produto, o Google+ nunca emplacou como um concorrente ao já estabelecido Facebook ou ganhou a simpatia dos usuários como uma nova forma de se conexão social. Mas a gota d’água foi a possível exposição de dados de mais de 500mil usuários a desenvolvedores de apps devido a um erro na API descoberto no início de 2018. Outros danos colaterais com o fim do G+ Como efeitos do fim da plataforma G+, sistemas de login baseado na conta do Google Plus deixam de funcionar e podem ser substituídos por login com conta Google, mas comentários e marcações +1 em blogs usando o serviço serão excluídos. O fim de uma rede social ou serviço Apesar do pouco impacto sentido pela maioria dos usuários com...